Blog

Blog

Por Dr. Evandro Reis

Pé diabético: o que é, qual o tratamento e como prevenir

Pé diabético

Pé diabético.

O pé diabético, na verdade, é uma expressão ampla que se refere a todo tipo de problema que pessoas portadoras de diabetes possam apresentar em seus pés. Geralmente é causada pelo mau controle da glicemia e o problema só é percebido quando surge alguma ferida que demore muito a cicatrizar.

A diabetes, que é caracterizada pela falta de insulina ou pela incapacidade do organismo de utilizar a insulina, provoca problemas de circulação pelo excesso de açúcar na corrente sanguínea.

Dessa forma, o sangue demora para chegar nas partes inferiores do corpo, ou seja, os pés param de receber o oxigênio através do sangue da maneira adequada, provocando os sintomas que podem levar ao aparecimento de feridas, micose e necrose. Em alguns casos, pode levar até mesmo ao amputamento do membro atingido.

Quais são os sintomas do pé diabético?

● sensação de formigamento e dormência
● perda da sensibilidade, principalmente na sola dos pés
● sensação de agulhadas nos dedos
● queimação tanto nos pés como nos tornozelos
● fraqueza e cansaço nas pernas
● rachaduras nos calcanhares
● surgimento de micoses frequentes, principalmente entre os dedos
● dores constantes nos pés
● as pontas dos dedos ficam arroxeadas

Qual o tratamento?

Tudo dependerá da gravidade das feridas nos pés. Podem ser prescritos desde cremes e pomadas para aplicação nas úlceras até a utilização de antibióticos, caso haja infecção. Havendo micose, esta também deverá ser tratada para que as feridas não fiquem maiores e mais difíceis de tratar.

Deve-se trocar o curativo da ferida todos os dias, evitar que o local fique úmido e não deixar os pés muito tempo na mesma posição.

O tratamento contra a diabetes também deverá ser intensificado ou modificado, para que a causa dos problemas do pé diabético seja controlada ou eliminada.

Se a ferida for extensa demais, pode ser necessária uma cirurgia para retirada do tecido afetado, para que a pele possa cicatrizar melhor.

Em casos mais extremos, em que o membro já foi muito afetado, o médico pode optar pela amputação do pé, parcialmente ou totalmente.

Como prevenir o pé diabético?

Antes de mais nada, é essencial manter a diabete sob controle, através de exames frequentes e medição do nível de glicose do sangue.

Os pés devem ser examinados diariamente pelo próprio paciente, ao deitar-se ou durante o banho. Caso haja dificuldade para esta inspeção, pode-se pedir ajuda a outra pessoa ou utilizar um espelho.

Deve-se procurar por pequenas feridas, bolhas, saliências nos ossos e calos. Concentre-se principalmente nas solas dos pés e fique atento quanto ao surgimento de micoses, principalmente entre os dedos.

Outra dica importante é usar sempre calçados apropriados para quem é diabético. Os sapatos precisam ser fechados, confortáveis, com solado antiderrapante e cujo formato se adapta ao formato dos pés.

O uso de chinelos e sandálias não é indicado, pois podem ocorrer ferimentos sem que o paciente perceba, já que a sensibilidade dos pés é afetada.

As mulheres não devem usar saltos altos demais, que prejudicam a circulação. O ideal recomendado são saltos de até três centímetros. Calçados de bico fino também devem ser evitados. Usar sapatos novos por muito tempo ou apertados demais também está contra-indicado.

Cortar as unhas com um cortador apropriado evita que a pessoa se machuque durante este procedimento.

Fazer as unhas somente com profissionais habilitados a fazer a pedicure em diabéticos também é essencial. Calos nunca devem ser cortados pelo paciente, assim como as cutículas nunca devem ser retiradas. Neste caso, é preciso procurar um podólogo.

Se a presença de calos nos pés for constante, é preciso procurar o médico para que se determine a causa do surgimento destes calos e possa ser utilizado o tratamento adequado.

A higiene também exige atenção: use sabonetes à base de glicerina, mantenha os pés sempre hidratados utilizando cremes específicos. Seque com atenção ao redor das unhas e entre os dedos. Não utilize secadores, pois há o risco de queimaduras sem que se perceba.

Manter o acompanhamento da diabetes é fundamental

A adoção de hábitos saudáveis de alimentação, o controle do peso, a prática de exercícios e a utilização de produtos e calçados específicos para os pés dos diabéticos afastam bastante a possibilidade de surgir qualquer problema.

Quanto mais alto o índice de glicemia, maior a chance de surgirem feridas relacionadas ao pé diabético.

É muito importante sempre verificar os pés, para que não se inicie o tratamento de qualquer alteração muito tarde. A cicatrização pode ficar mais demorada, complicando o tratamento.

Não deixe de visitar seu médico regularmente para acompanhamento e controle da diabetes.

Compartilhar Publicação