Blog

Blog

Por Dr. Evandro Reis

Tratamento de feridas especializado: onde encontrar

Tratamento Especializado

Sofrer um ferimento é um acontecimento bastante comum. Na maior parte das vezes, a cicatrização ocorre de maneira natural e sem maiores problemas. Mas o que fazer quando surge uma ferida que não cicatriza, que se alastra, infecciona e causa dor e transtornos ao paciente? Nestes casos, é preciso procurar tratamento de feridas especializado.

Cuidar de uma ferida pode parecer algo simples, mas é preciso ter bastante cuidado. Dependendo do tipo de ferida, da sua causa e origem, os procedimentos são diferentes. Tratar uma lesão de maneira incorreta pode não apenas retardar o processo de cura, como piorar o estado da ferida e levar até mesmo à necessidade de uma cirurgia ou amputação.

Feridas crônicas, como as feridas venosas e arteriais, exigem um cuidado delicado e específico, com limpeza constante do ferimento, troca de curativos com técnicas específicas e uso de medicamentos de acordo com cada caso. Os tratamentos são totalmente diferentes entre si. Por isso, a busca por um profissional especializado no assunto não é somente fundamental, é o fator que irá levar a cura ao paciente e melhorar significativamente sua qualidade de vida.

Os tipos de feridas mais comuns que exigem tratamento especializado

A seguir, traremos um breve resumo das feridas crônicas mais comuns, que são aquelas que mais exigem um tratamento especializado.

Úlcera Venosa

A úlcera venosa é um tipo de ferida provocada pelo acúmulo de sangue nos membros inferiores. Geralmente é crônica, mais frequente em pessoas acima dos 50 anos e na faixa dos 70 anos. É mais comum em mulheres. Na úlcera venosa, o sangue não tem força suficiente para chegar ao coração, assim, acaba se acumulando nas pernas e pés, provocando o escurecimento da pele e o endurecimento das veias na região.

A pele fica vermelha e quente, acompanhada de uma sensação de inchaço nas pernas, que melhora ao se colocar os membros para cima. Há também a sensação de cansaço e coceira na região lesionada. Não há dor a princípio, mas se já houver infecção a ferida costuma doer bastante. As regiões mais atingidas são a parte inferior das pernas, abaixo do joelho e acima do tornozelo.

Para o tratamento, são feitas compressões na perna com o uso de ataduras ou meias específicas, antibióticos no caso de existir infecção, e troca constante dos curativos. A aplicação de cremes ou pomadas à base de corticoide também pode ser recomendada. Em casos mais extremos, pode haver a possibilidade de cirurgia com enxerto de pele.

É um tratamento longo que, nos casos mais extremos, pode ser feito pelo resto da vida do paciente.

Úlcera Arterial

A arteriosclerose é uma das principais causas deste tipo de ferida. Suas principais características são a dor intensa, vermelhidão, inchaço e calor no local afetado. A queratose, que é o endurecimento da pele pelo excesso de queratina, também é bastante comum. Pode ocorrer a queda dos pelos na região da lesão e também a necrose, que é a morte dos tecidos. Ao elevar a perna, a dor piora. As bordas das úlceras arteriais são uniformes. O tratamento de feridas como as úlceras arteriais, além do uso de antibióticos e cremes, exige cuidado especializado na troca dos curativos. Não se deve elevar o membro atingido em caso de úlceras arteriais.

Erisipela

A erisipela é uma ferida decorrente de uma infecção na parte mais superficial da pele dos membros inferiores. Ocorre quando através de um arranhão ou pequena ferida há uma contaminação por bactérias, originando ferimentos.

Dentre os sintomas, estão vermelhidão, inchaço, coceira e dor no local da ferida. Micoses ou cortes preexistentes nos pés, entre os dedos ou nas pernas podem facilitar o surgimento da erisipela. Neste caso a bactéria penetra pelo corte já existente e ocasiona o aparecimento da erisipela em outro ponto do membro inferior.

O tratamento é feito através de antibióticos, via oral ou injetáveis. As lesões provocadas pela erisipela também precisam de tratamento especializado

Celulite infecciosa

A celulite infecciosa tem muita semelhança com a erisipela. O que a difere desta doença é basicamente a profundidade da lesão, atingindo camadas mais profundas da pele. De resto, o tratamento e a forma de contágio são semelhantes. As bactérias – que muitas vezes vivem na flora natural da pele – penetram por uma ferida e causam o problema em outra parte do corpo. A celulite infecciosa é tratada com antibióticos e, dependendo da extensão dos ferimentos, é necessário recorrer à cirurgia.

Pé diabético

Diabetes é uma doença causada pela falta de insulina ou pela incapacidade do organismo de metabolizar a insulina, provocando problemas de circulação devido ao excesso de glicose na corrente sanguínea. Assim, como o sangue não chega nos membros inferiores, a oferta de oxigênio fica prejudicada, podendo causar o surgimento de feridas.

Em casos extremos pode levar à amputação do membro lesionado. Dentre os sintomas, estão a sensação de formigamento e dormência, perda da sensibilidade, principalmente na sola dos pés, sensação de agulhadas nos dedos, queimação nos pés e nos tornozelos, fraqueza e cansaço nas pernas, calcanhares rachados, micoses frequentes especialmente por entre os dedos dos pés, dores frequentes, arroxeamento das pontas dos dedos dos pés.

Veja mais informações aqui sobre o pé diabético e como funciona o tratamento.

A importância de tratar doenças de fundo

O tratamento de uma ferida crônica não passa apenas pelo cuidado com a ferida em si. Na maior parte das vezes, este tipo de ferida surge em decorrência de uma doença que o paciente já tem, e que acaba por dificultar a abordagem clínica.

Não adianta cuidar da ferida isoladamente e não tratar a doença de fundo que levou à lesão. Continuar ou retomar o cuidado com a doença principal é fundamental para que o tratamento de uma ferida crônica dê resultado. Se levarmos em conta o fato de que, dependendo do grau de evolução da ferida, o tratamento pode se estender por meses, sendo dolorido e difícil, fica ainda mais evidente a necessidade de tratar outras doenças que o paciente já tenha e que sejam a causa das feridas que surgiram.

Assim sendo, se o paciente tiver doenças circulatórias e cardíacas, diabetes, problemas de imunidade, pressão alta, artrite reumatoide, leishmaniose, anemias, o tratamento destas enfermidades deverá ser priorizado para ter reflexos no tratamento da ferida em si.

Outras condições como obesidade, sedentarismo, tabagismo, impossibilidade de locomoção também interferem no tratamento das feridas crônicas. A adoção de hábitos de vida mais saudáveis, na medida das possibilidades do paciente, é um dos fatores que ajudam a promover a cura tanto das doenças quanto das feridas crônicas.

Onde encontrar tratamento de feridas especializado?

A rede Doutor feridas é referência no tratamento de feridas agudas e crônicas. Através do sistema de licenciamento, Doutor Feridas tem expandido sua área de atuação em todo o país. São profissionais altamente qualificados, comprometidos e apaixonados por cicatrização. Eles estão prontos para oferecer a você o melhor tratamento especializado de feridas, com todo o carinho e cuidado, oferecendo ao paciente o que há de mais moderno no tratamento de feridas, promovendo a cura e o bem-estar, devolvendo a qualidade de vida para portadores de feridas no Brasil inteiro.

Entre em contato conosco, caso deseje saber mais sobre tratamento de feridas especializado na sua região.

Compartilhar Publicação